Gestão financeira de imobiliárias – 2 desafios comuns


Gestão

Gestão financeira de imobiliárias – 2 desafios comuns

Um dos erros mais fatais para uma corretora é tratar a parte financeira como algo do além. Só pessoas muito especializadas em economia e contabilidade cuidam dessa parte. Cuidado: a gestão financeira de imobiliárias é competência fundamental para gestores e, me arrisco a dizer, importantíssima para corretores que queiram crescer nessa carreira. 

No post de hoje, quero apresentar dois conceitos básicos sobre gestão financeira de imobiliárias. Existem diversas outras questões mais técnicas que poderiam ser abordadas – recomendo que você deixe-as com seu contador de confiança. Nesse texto, vou mostrar para você dois pontos que um gestor (ou diretor) de corretora deve acompanhar constantemente. Se algum desses fatores estiver ruim, recomendo fortemente ligar o sinal de alerta. 

Gestão de inadimplência

Por mais que a legislação proteja o pagamento de aluguéis, a inadimplência na área imobiliária ainda é um grande desafio. Primeiro de tudo: ela nunca vai deixar de existir. Sempre podem ocorrer adversidades e problemas que impeçam o pagamento de uma conta. Por esse motivo, cabe gerenciar bem a inadimplência dentro de uma corretora. 

Em relação à inadimplência, um gestor deve ter em mente três informações básicas:

  • Qual é o nível médio de inadimplência da sua imobiliária?
  • O mês atual está acima ou abaixo da média?
  • Quais períodos costumam ter índices de inadimplência mais altos?

Ao responder essas três perguntas, o diretor sabe o tamanho do buraco. É possível estimar os meses com mais inadimplência (e, portanto, se proteger contra eles) e analisar a situação atual. Se você estiver muito acima da média, é bom pensar em ações para reverter esse cenário. 

Falta de padrão em margens de desconto e negociação

Esse erro aqui é matador – e muita imobiliária sofre com esse problema. Na hora de negociar um desconto, o corretor negocia direto com o proprietário, sem passar pelo crivo do coordenador comercial ou do diretor. O problema aqui não é a autorização do chefe. O grande problema é correr riscos na negociação do desconto.

Se o corretor negociar o desconto da forma errada, pode comprometer a margem da imobiliária e gerar um negócio desvantajoso para o proprietário do imóvel. Para evitar isso, a solução é simples: pense em tabelas com percentuais de desconto padronizados. 

Pense em percentuais diferentes para aluguel e venda. Você pode construir esses percentuais baseado no preço do imóvel ou no valor negociado. O importante aqui é estabelecer um teto: o desconto não poderá ultrapassar 3% do valor total, por exemplo. Assim, os corretores não erram e a imobiliária preserva bem a margem.

Para fechar, queria convidar gestores e profissionais da área financeira das imobiliárias a contribuir para essa discussão. Quais são os principais desafios financeiros que a sua imobiliária enfrenta? E as soluções, quais se aplicam melhor? Deixe suas considerações nos comentários e enriqueça nosso debate.

Fonte: Beview

About PH Consultoria

Autor do Blog

Posted on 07/12/2014, in Artigos, Papo para corretor and tagged , , , , . Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: